Adeus, Ézio

Ézio se foi. Muita gente fala que ídolos são jogadores supremos. Protagonistas de vários títulos, autores de jogadas incríveis. Ézio não fez tudo isso. Mas fez mais. Muito mais. Numa época difícil, do infame bom, bonito e barato, Ézio era quem proporcionava alegrias e festa.

De 1991 a 1995 marcou gols importantíssimos, gols inesquecíveis, gols vistos por poucos em uma Laranjeiras vazia numa quarta à noite, ou gols em um Maracanã lotado diante de um arquirrival. Só levou um título no Flu, dirão alguns. Mas e daí? Naquela pelada na rua, eu era o Ézio. O SUPER ÉZIO. Carrasco do Flamengo. Ídolo sim. Sempre. Adeus meu eterno camisa 9.

2 comentários sobre “Adeus, Ézio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s