Manual de como envelhecer

Eu sempre anotei na minha agenda os nomes dos filmes que assistia. Na verdade continuo fazendo isso. Dando uma espécie de nota e dizendo qual o gênero. Uma bola preta, a película é uma bosta. Um asterisco, filme ruim, mas que, em algum momento, tem algo que preste. Dois asteriscos, bom. Três, muito bom. Quatro, ótimo, algo para não esquecer. Cinco, bom, cinco eu não lembro da última vez que havia colocado… mas hoje coloquei: O Curioso Caso de Benjamin Button.

Para quem não sabe, o história fala sobre um homem (Button) que nasce com oitenta e tantos anos e rejuvenesce a cada dia que passa. A partir da Nova Orleans do final da I Guerra Mundial, em 1918, adentrando o século XXI, o filme percorre a jornada dele que, de tão incomum, acaba parecendo com a de qualquer um. Porém, observada e analisada sobre uma perspectiva de que boa parte de nós tememos… o medo de envelhecer e, conseqüentemente, morrer. Mas é justamente aí que o filme cativa, se tornando um verdadeiro manual, resumido é claro, de como se envelhecer e de como lidar com isso.

Ainda não li críticas sobre essa produção dirigida por David Fincher, diretor de ótimos suspenses detalhistas como “Seven” e “O Quarto do Pânico” e de adaptações de livros que te fazem contestar todo um sistema (“Clube da Luta”, é claro!), escrita por Eric Roth (ganhador do Oscar em 94 de roteiro adaptado por “Forrest Gump”) e baseada em conto de F. Scott Fitzgerald. Mas pouco me importa, fazia tempos que não assistia a um filme tão tocante, que te faz refletir sobre um bocado de coisas e mostra pensamentos que você tinha – e que de repente já tinha lido ou escutado em trechos de canções favoritas -, tudo condensado em duas horas e tanto de projeção.

Em um trecho, ao contar como uma personagem havia sofrido um acidente, o protagonista mostra que qualquer detalhe, por mais corriqueiro que seja, faz a diferença mais à frente…

Tecnicamente, o filme é mais que perfeito. Maquiagem, atuações, locações, roteiro (sem furos, apesar de toda a questão envolvendo o tempo), direção, efeitos, fotografia… Bom, não é a toa que o filme lidera a corrida pelo Oscar 2009 (13 indicações!). Ou seja, não perca tempo, e assista! Abaixo, o trailer.

Um comentário sobre “Manual de como envelhecer

  1. Há, maluco! Quanto tempo!
    Aqui é o Rodrigo, de Curitiba.
    To querendo ver esse filme, hein. Mais ainda com a tua indicação.
    Abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s